Sub-Programa 3

proder

Eixo 4

promar logo 2010

Bolsa Nacional de Terras

bnt logo

Zona Intervenção ADL

mapa zona

A ADL enquanto Entidade Gestora do Programa de Iniciativa Comunitária LEADER + “Alentejo Litoral” (2001-2008) implementou o seu Plano de Desenvolvimento Local (PDL) com acções de apoio técnico e financeiro dirigido a iniciativas empresarias, associativas e institucionais, obtendo uma elevada taxa de execução e realização.

Em termos de resultados esta intervenção permitiu gerar um investimento de 5 milhões e oitocentos mil Euros, aplicados em 211 projectos distribuídos por empresas e associações e instituições, gerando 151 postos de trabalho e contribuindo para manter 337 postos de trabalhos.

A ADL também dinamizou acções internas no seu PDL, designadamente o CITAL - Centro de Iniciativas Turísticas do Alentejo Litoral. Esta intervenção foi bastante importante para alavancar as dinâmicas de desenvolvimento emergentes. A ADL teve como responsabilidade a execução do Plano de Cooperação no âmbito do Vector do 2 - LEADER +, em que foram dinamizados vários projectos de cooperação interterritorial e transnacional.

MAPA ZONA DE INTERVENÇÃO LEADER +

A zona de intervenção da ADL considerada no âmbito do Programa Leader + abrange quatro concelhos do Alentejo Litoral: Grândola, Santiago do Cacém (excepto parte da freguesia de Alvalade), Sines (excepto o núcleo urbano de Sines) e Odemira (freguesias de S.Luís, S. Salvador, Santa Maria, Boavista dos Pinheiros, Longueira / Almograve, Vila Nova Milfontes, Luzianes-Gare, Relíquias e parte de Santa Clara-a-Velha). Este conjunto ocupa uma área total de aproximadamente 2 722,8 Km2 (considerada na totalidade como zona desfavorecida), com uma extensa faixa costeira do território, encaixada entre o Oceano Atlântico e a planície alentejana, que se estende desde o extremo mais setentrional da Península de Tróia (concelho de Grândola) até ao limite da freguesia de Longueira/Almograve (concelho de Odemira). A população residente é aproximadamente 61 767 habitantes (Censos 2001) o que traduz uma densidade populacional de 22,7 habitantes por Km2.

Tema Forte

Promoção e Reforço das Componentes Organizativas e Competências das Zonas Rurais

Este tema é assumido como tema central e transversal a todo o PDL, tendo em conta as características do território e dos seus actores. A aquisição de competências e a dinamização do associativismo e de outras formas de motivação dos destinatários para a participação no processo do seu próprio desenvolvimento e daquilo que os rodeia é absolutamente essencial. É convicção da ADL que estes constituem os trunfos para o desenvolvimento sustentável da região, na medida em que permitirão o intercâmbio de experiências e, logo, o conhecimento e a transferência de saberes. Também conduzirão ao aumento do poder de negociação, à qualidade da promoção e comercialização e, portanto, à dinamização das actividades económicas locais.

Objectivo central

Promover o desenvolvimento sustentado do território atenuando as assimetrias entre a faixa litoral e o interior da Zona de Intervenção.

Eixos Estratégicos

  • Apoio às estruturas locais e aquisição de competências;
  • Dinamização do tecido empresarial;
  • Valorização e preservação dos recursos patrimoniais;
  • Promoção da Zona de Intervenção.

Grupos-alvo de intervenção prioritária

  • Associações e Instituições Locais,
  • Empresários,
  • Jovens e Mulheres

Estrutura ETL

  • ETL (Equipa Técnica Local)
    • Coordenadora - Maria João Duarte Pereira
    • Técnicos - Ana Rita Vacas; Maria José Rosa e Miguel Espada
  • Apoio Técnico e Informação/Divulgação
  • Formação/Qualificação e Assessorias
  • Incentivos Financeiros
  • Cooperação e Promoção (regional, nacional e transnacional)

PDL - PLANO DE DESENVOLVIMENTO LOCAL

A - Investimentos

  1. Investimentos em Infra-Estruturas Colectivas
    1. Centro de Iniciativas Turísticas do Alentejo Litoral
    2. Património Natural e Cultural
    3. Recuperação de Espaços para Apoio Social
  2. Apoio a Actividades Produtivas
    1. Apoio a Micro e Pequenas Empresas Locais
    2. Apoio a Projectos Inovadores
  3. Outras Acções Materiais
    1. Apoio a Projectos para Jovens
    2. Apoio ao Associativismo e Instituições Locais

B - Acções Imateriais

  1. Outras Acções Imateriais
    1. Assessorias Técnicas e Aquisição de Competências a Empresas
    2. Assessorias Técnicas e Aquisição de Competências para Instituições e Associações
    3. Iniciativas Piloto de Carácter Sócio-Comunitário
    4. Informação/Sensibilização e Experimentação Agro-Ambiental
    5. Apoio a Projectos de Associações e Instituições Locais
    6. Apoio a Actividades Promocionais
    7. Núcleos Técnicos de Animação Local
    8. Promoção da Zona de Intervenção

C - Despesas de Funcionamento do GAL

D - Aquisição de Competências

PROJECTOS VECTOR I

A estratégia de implementação do Plano Desenvolvimento Local do Programa LEADER + “Alentejo Litoral” gerido pela ADL, ao longo de cerca de cinco anos de execução implicou resultados palpáveis no território, em termos do apoio às iniciativas locais tanto de natureza empresarial como associativa e institucional.

MONTANTES APROVADOS: 5.791.108,95 €

Nº PROJECTOS APROVADOS: 211

Co-Financiamento

Análise Sectorial

Análise Territorial

FEOGA:
3.092.013,87 €
MADRP:
649.618,91 €
Empresariais:
Nº projectos: 51
Investimento Total: 2.191.458,04 €
Associativos e Institucionais:

Nº projectos: 160
Investimento Total: 3.595.189,02 €
Grândola: 47
Santiago do Cacém: 64
Sines: 14
Odemira: 65
Internos da ADL (LA): 21
 
VER LISTA DE PROJECTOS APROVADOS NO VECTOR I

PROJECTOS VECTOR II

O plano de cooperação da ADL destaca a aquisição de competências e a dinamização do associativismo e de outras formas de motivação dos destinatários para a participação no processo do seu próprio desenvolvimento considerando que é absolutamente essencial para o intercâmbio de experiências e a transferência de saberes.

A dinamização das actividades económicas locais conta com a dinamização da iniciativa empresarial, através da organização de estruturas locais e do conhecimento e capacidade de gestão territorial a partir do aproveitamento do potencial endógeno que existe nos diversos recursos existentes na zona de intervenção.

A competitividade territorial será assegurada pela qualidade na promoção e comercialização dos territórios e seus produtos e estimulada pelo desenvolvimento de condições para fazer face à concorrência dos mercados, assegura simultaneamente a sustentabilidade ambiental, económica, social e cultural, baseada em lógicas de rede e de articulação entre territórios.

VER LISTA DE PROJECTOS VECTOR II